26º FNTG DIVULGA ESPETÁCULOS SELECIONADOS PARA A MOSTRA PALCO CEARÁ

Foto: Grupo As 10 Graças de Palhaçaria/ Espetáculo Cabaré da Desgraça

A 26ª edição do Festival Nordestino de Teatro de Guaramiranga segue dando continuidade aos diálogos estéticos e artísticos possibilitados pela intersecção entre as diversas linguagens das artes da cena que caracteriza o Festival desde sua origem e ganhou contornos muito especiais, na 25ª edição, com a apresentação de espetáculos de dança, música e circo nas Mostras que conceituam do Festival.

A composição das Mostras da 26ª edição, é resultado de um processo de curadoria / seleção a partir de chamadas públicas, o qual permitiu espaço para indicações de trabalhos pelos curadores e para seleção de propostas enviadas por grupos interessados.

Confira grupos e espetáculos selecionados para a Mostra palco Ceará (por ordem alfabética):

Grupo: As 10 Graças da Palhaçaria- Fortaleza
Espetáculo: Cabaré da Desgraça

Grupo: As Travestidas – Fortaleza
Espetáculo: Cabaré das Travestidas

Grupo: Rei Leal Coletivo Teatral – Fortaleza
Espetáculo: As Malditas

Grupo: Cia da Arte Andanças – Fortaleza
Espetáculo: Devoração

Grupo: Rosa Primo – Fortaleza
Espetáculo: Iracema

Suplentes:
Grupo: ADC- Associação Dança Cariri- Juazeiro do Norte
Espetáculo: Eu-Tu

Grupo: Bricoleiros
Espetáculo: Olha o olho dos meninos

 

O TEMA DA EDIÇÃO
Como tema inspirador para os debates e reflexões que servem de base a cada edição, este ano abordamos a questão da arte como ofício.
Propomos criar um campo de reflexão crítico-poético sobre a questão do trabalho, considerando este momento em que, ao nosso ver, nós, trabalhadores e trabalhadoras das artes cênicas, estamos diante de um desafiador cenário que nos impoe, entre tantas outras coisas, compreender e superar fenômenos sócioculturais, transmutar tecnologias; revolucionar sentidos e criar as possibilidades de trabalhar no amplo campo da Arte.
Há, também, nossa intenção de, com a homenagem, ampliar as vozes que fortalecem a classe trabalhadora das artes do Brasil, diante da possibilidade de reformas estruturais que ameaçam nossos direitos.
Estamos celebrando o/a artista como trabalhador/a! Estamos celebrando a Arte como parte da lida, da labuta diária de tantas e tantas pessoas. Estamos celebrando nossa força de trabalho que constrói, por meio da Arte, um mundo melhor de viver.

Eis nosso convite: Mãos às obras!